Terapias Complementares em animais: como essas técnicas podem levar mais saúde para o seu pet

Terapias Complementares em animais: como essas técnicas podem levar mais saúde para o seu pet

Com os avanços tecnológicos nossa vida hoje é muito mais agitada do que nos anos 80 e 90, por exemplo, e o que por um lado facilita nossa comunicação, e consequentemente nossa forma de viver no mundo, também nos traz muitas doenças como transtornos emocionais, de ansiedade, estresse, depressão e até mesmo câncer. Segundo o INCA  (Instituto Nacional do Câncer), o câncer não tem uma causa única, há diversos agentes externos presentes no meio ambiente, e também internos, como hormônios, condições imunológicas e mutações genéticas.  Há estudos que apontam que cerca de 80% a 90% dos casos estão associados a causas externas, devido às mudanças provocadas no meio ambiente nos últimos 30 anos pelo próprio homem, além de seus hábitos e estilo de vida, que aumentam o risco de diferentes tipos de câncer.


As semelhanças entre nós humanos e os animais são inúmeras, e quando falamos do campo das emoções e das doenças, observamos que eles apresentam cada vez mais diagnósticos parecidos com os nossos. Um estudo realizado pela Universidade de Utah em conjunto com a universidade da Carolina do Norte, constatou que, nos Estados Unidos, a cada 100 mil pessoas, 500 morrem de câncer, já no meio animal, são 5.300 óbitos para cada 100 mil cachorros. A pesquisa também demonstrou que câncer é a principal causa de morte canina, seguida de doenças musculoesqueléticas, como artrose, reumatismo, e neurológicas, e a incidência de tumores só aumenta.


Com o aumento desse e de outros diagnósticos de doenças em animais, a procura por Terapias Holísticas/Complementares como Reiki, Cromoterapia, Florais de Bach, Massagem para animais, e Cristais tem aumentado cada vez mais em clínicas veterinárias, podendo elas auxiliar no tratamento convencional. Esses métodos ajudam a aliviar o sofrimento dos pets, protegendo seu organismo dos danos causados pela quimioterapia ou remédios com composições fortes, melhorando os resultados dos tratamentos e contribuindo para superar as doenças.


A professora e terapeuta holística em pets há 10 anos, Clelma Cristina, vem atuando com Reiki, Florais de Bach e Cromoterapia em animais, e reforça  a importância da utilização de ambos os tratamentos: “Uma das funções de utilizar as terapias complementares é a diminuição dos efeitos colaterais que o tratamento alopático pode causar, como também para potencializar o efeito dos remédios, fazendo com que mais rapidamente o animal se cure”. Clelma ainda ressalta que as terapias não interferem de forma alguma na função dos remédios convencionais, e reforça que com elas não é apenas o físico do pet que está sendo tratado, “Quando falamos de tratamento com essas terapias trabalhamos o emocional e o energético, e todos sabemos que nós somos seres integrais e o animal também é assim. As terapias complementares conseguem protegê-lo de energias nocivas tanto do ambiente, quanto dos próprios donos”.

 

Segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer), as energias nocivas do ambiente podem estar presentes de inúmeras maneiras, em meios naturais como a água, a terra e o ar, além dos ambientes sociais e culturais, levando em conta o estilo e os hábitos de vida, e também as proximidades das indústrias químicas, elétricas e afins.


A também terapeuta Reikiana, Aromaterapeuta e Cristaloterapeuta Francine Hoki vivenciou uma experiência que deixa claro a influência do ambiente no comportamento dos animais. “ Um cão muito amoroso e tranquilo, quando mudou de casa com os donos passou a demonstrar padrões de irritação e hiperatividade. Os tutores estranharam, pois eles tinham mudado de um apartamento para um chácara rodeada por natureza, onde o animal tinha oportunidade de viver livre. Fazendo uma pesquisa a distância sobre a qualidade energética do ambiente, percebemos que exatamente no local onde ele mais gostava de ficar na casa tinha um forte desequilíbrio energético. Descobrimos que aquela parte da construção estava próxima de uma torre de energia elétrica”, conta a terapeuta.


O estudo de energias de ambientes pode ser facilmente identificado por meio de Radiestesia, onde o melhor tratamento também pode ser indicado através da técnica. Para o tratamento deste caso, Francine nos conta o que foi feito: “Além de tratarmos o ambiente com cristais para melhorar a energia e diminuir a forte poluição eletromagnética, atuamos com elixires de cristais que amparam o animal em momentos de transição, para fortalecer seu sistema energético. Em um semana os resultados já começaram a surgir e logo ele voltou a ser o cãozinho amoroso e tranquilo!!”.

 

E não tem sido só causas físicas e energéticas que levam os animais a adoecerem, mais sintomas emocionais como o estresse, vem se tornado uma das queixas bem comuns entre os tutores de cães e gatos, e pode também ter inúmeras causas, como separação (quando o dono sai e deixa o animal sozinho), quando há um novo pet em casa, mudanças de rotina, barulhos altos ou viagens longas, e dentro das terapias complementares disponíveis, pode ser amenizado com massagem relaxante.


A bióloga, massoterapeuta e massagista relaxante pet Danielle Mendonça, nos explica um pouco sobre a eficácia da técnica em animais. “A massagem relaxante nos pets atua da mesma forma que nós seres humanos, diminuindo os níveis dos hormônios que causam estresse, proporcionando relaxamento, aumento da circulação, fortalecendo o sistema imunológico e diminuindo dores”, declara Danielle.


Animais que foram resgatados da rua tem a tendência maior de sofrer por conta da separação, e a técnica também mostra eficácia nesses casos.“A massagem relaxante tem caráter preventivo, porém atua mais no comportamental, auxiliando animais que sofrem SAS, (síndrome da ansiedade de separação), além de ser uma forma de estreitar a relação entre o pet e seu dono”. A terapeuta também compartilhou conosco a eficácia da massagem em cães com aversão ao toque, “ Uma cadela chamada Princesa, extremamente desconfiada e que não permitia aproximação, passou por sessões e aos poucos íamos aumentando o tempo nas manobras. Hoje ela adora receber massagem e se mostra feliz e receptiva ao toque. Todos os animais são beneficiados de forma comportamental e física”, pontua a massagista pet.


Com todas essas novidades quanto à saúde dos animais, acreditamos que pode ter despertado em você um interesse em aprender as técnicas holísticas/complementares em pets não é mesmo?

Aqui no Espaço Holos temos um curso que possibilita sua Certificação junto à ABRATH (Associação Brasileira de Terapias Holísticas), um dos primeiros da área. Quer mais informações? Clique e confira o início da próxima turma

 

Sem comentários

Postar Comentário

Have no product in the cart!
0