Indigo Biofeedback – O que é e como ele pode ajudar na cura das doenças

Indigo Biofeedback – O que é e como ele pode ajudar na cura das doenças

Segundo uma pesquisa recente divulgada pela OMS (Organização Mundial da Saúde), em 2020, ou seja, no próximo ano, a depressão será a primeira causa de pedido de licença do trabalho. Muitos motivos são responsáveis pelo aumento recorrente da doença, como, desequilíbrio em suas vidas pessoais e profissionais, alterações rápidas de humor devido a pressão do dia a dia, uso contínuo de remédios e antidepressivos, e o estresse vivido todos os dias no convívio familiar, horas no trânsito e no trabalho, fazendo com que as estatísticas se confirmem cada vez mais.

O mercado de Terapias Quânticas, Integrativas e Complementares, tem apresentado muitas possibilidades que auxiliam o tratamento convencional de depressão e estresse, além de diversas outras doenças de causas físicas, mentais emocionais e energéticas, e o sistema Indigo Biofeedback é mais uma delas.

Você talvez já tenha lido em algum lugar, ou, muito provavelmente está lendo pela primeira vez sobre a técnica do sistema Indigo Biofeedback, e com certeza deve ter se perguntado do que se trata, ou curioso pra conhecer mais.

Os profissionais que atuam com a técnica do sistema Indigo Biofeedback aprendem que é possível realizar um atendimento integral com o paciente, levando em conta o nível do corpo, da mente e dos campos emocional e energético. A empresária e terapeuta Indigo Biofeedback Luciana Maier, que trabalha com a técnica a mais de oito anos, reforça ainda mais como ela é aplicada na prática ‘O Biofeedback é um sistema que consiste na avaliação e equilíbrio da pessoa como um todo, ou seja, faz uma análise integrada dos estados físico, mental, emocional e energético espiritual. Sabemos que estes quatro corpos funcionam em conjunto e interagem entre eles. Assim, qualquer alteração mental, emocional ou energética tem o seu impacto no físico e vice-versa’, declara a empresária.

Originário de uma tecnologia canadense, o sistema Indigo Biofeedback foi criado nos anos 60 pelo cientista e professor Bill Nelson, com o objetivo de realizar uma investigação no corpo utilizando um aparelho eletrônico, que quando conectado ao paciente é capaz de detectar seu estado psicofisiológico, avaliando suas reações fisiológicas e emocionais por meio de frequência cardíaca, tensão muscular, pressão arterial, temperatura do corpo e atividade elétrica cerebral, identificando assim possíveis alterações físicas, mentais, emocionais e energéticas.

Sabemos que no nível microscópio nada é material, tudo é vibração feito de energia condensada, ou seja, existe um nível quântico também em nossos corpos, porém no Brasil técnicas sutis que auxiliam tratamentos convencionais de cura por meio do campo energético, são ainda muito recentes e pouco divulgadas, por vezes por falta de oportunidade e abertura para esse conhecimento, ou também compreensão dos resultados eficazes. Com o Indigo Biofeedback não é diferente, como explica Luciana ‘É de fato algo novo para a maioria das pessoas, o reequilíbrio através de frequência sem utilização de remédios por meio de métodos não invasivos, e que depende muito da reeducação de hábitos de quem está em tratamento. Vem crescendo a consciência sobre esses tratamentos, e acredito mesmo que logo será uma prática considerada pela maioria, por conta dos efeitos sentidos’.

A técnica do sistema Indigo Biofeedback é indicada para auxiliar no tratamento dessas doenças, porém não existe um padrão que indicaria quantas sessões são necessárias para que a pessoa sinta seus efeitos, há uma variação de caso a caso, como reforça a empresária e terapeuta ‘A resposta que todos querem é sobre quantas sessões seriam ideias fazer, o que costumo responder é, que para casos crônicos, é necessário fazer pelo menos quatro sessões e observar sua resposta para esse tipo de proposta, juntamente com a mudança de hábitos sugeridas, mas para muitos casos, uma sessão eu afirmaria ser um “caminhão de energia e reequilíbrio”, depois disso seria muito bom uma manutenção a cada dois meses, mas isso não é regra e sim sugestão.’

Quando perguntamos para a Luciana qual era a sensação de trabalhar com uma técnica completa e inovadora, a resposta emanou gratidão, ‘Fico muito feliz por ter atraído essa tecnologia para minha vida, acredito mesmo que foi um presente, sei que pode ser assim para muitas pessoas, pois ainda é uma novidade’.

O equipamento utilizado no sistema Indigo Feedback é comercializado e vendido no Espaço Holos, onde há um curso de formação ministrado pela professora portuguesa, Filipa Cardoso, que possui uma vasta experiência em técnicas da área de terapias quânticas.

Vale ressaltar que para quem deseja aprender a operar o equipamento, não há nenhum pré requisito.

Para os interessados em fazer o curso, haverá uma nova turma do curso acontecendo nos dias 15, 16, 17 e 18 de fevereiro de 2019, das 9h às 17h no Espaço Holos, localizado no bairro do Santa Cruz.

Quer saber mais? Clique e confira > https://bit.ly/2Tozktq.

 

Por Jú Veloso

Fonte: Dom Total, Tua Saúde, Minha Vida e Eu Sem Fronteiras

Sem comentários

Postar Comentário